REMO ADAPTADO

  • É praticado por pessoas que apresentam uma deficiência física, motora, mental, visual (paraplegia, tetraplegia, síndrome de Down, amputação, deficiência visual visual, esclerose múltipla, paralesia cerebral, espinha bífida...).
  • A prática é feita em barcos especialmente concebidos e adaptados a cada incapacidade em particular;
  • O remo é parte integrante do programa dos Jogos Paraolímpicos e, sob a égide da Federação Internacional, são atribuídos anualmente os títulos mundiais das diferentes classes da vertente adaptada. Este Campeonato do Mundo realiza-se em conjunto com o de remo olímpico;
  • A distância oficial para a competição é de 1000 metros e as categorias, para ambos os sexos, definem-se de acordo com o grau de mobilidade e tipo de deficiência, na nomenclatura inglesa, referindo-se às partes do corpo que o remador utiliza na remada.
  • Assim, temos:
    • LTA – Remadores que utilizam as pernas o tronco e os braços (legs, trunk and arms)
    • TA – Remadores que utilizam o tronco e os braços (trunk and arms)
    • A (AS) – Remadores que utilizam os braços (arms and shoulders)
    • LTA I - Remadores que utilizam as pernas o tronco e os braços – deficiência intelectual (legs, trunk and arms - intellectual disability)
  • A pratica de remo adaptado (pararemo) tem vindo a conhecer um notável incremento a nível mundial, em especial na Europa;
  • Em Portugal, tem-se registado um assinalável incremento da prática, com clubes de referência a estabelecerem parcerias com entidades de apoio a pessoas portadoras de deficiências, para o desenvolvimento da prática;
  • Portugal esteve representado, pela primeira vez, nos Jogos de Paraolímpicos de 2012 pela remadora Filomena Franco.

Remo Adaptado

Filomena Franco nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012

Patrocinador Principal
Parceiros Oficiais
Parceiros Institucionais